post

12 passos para ser um pai campeão

Se pretende que o seu filho retire do desporto valores importantes (autoconfiança, atitude positiva e saudável), ele irá precisar da sua ajuda!

Os pais são elementos importantes no triângulo atleta-treinador-pais da equipa. Ao fazer bem a sua parte o seu filho aprenderá mais rápido, terá uma melhor performance, divertir-se-á e melhorará a auto-estima, sim, isto é o resultado do trabalho dos pais. Através do desporto é oferecido um conjunto de experiências que lhes dão suporte para os vários desafios que lhes vão surgir na vida. Se os pais forem os primeiros a desistir ou a partirem no sentido oposto, são os filhos os primeiros a deixarem de aprender, reflectindo-se na sua performance e poderá levar mesmo a um bloqueio ao desporto. Existem relações entre pais e filhos que saem prejudicadas significativamente devido a um sentimento de experiência de falha e desistência, falta de auto-estima e isto reflecte-se noutras áreas da vida. O seu filho/a e o treinador precisam que os pais façam parte da equipa. Sem o trabalho dos pais não há vitórias possíveis.

Seguem-se uma série de factos, que podem servir como guias e estratégias para as equipas mais aptas para o desporto. É importante lembrar que no desporto para jovens, só há vencedores se todos ganharem. Nós precisamos dos pais nas equipas.

1. Compreender a competição em que o seu filho/a joga é o primeiro passo enquanto “parceiro de treino”.

Quando definida de uma forma correta, a competição é saudável e educativa e ensina à criança/jovem uma miríade de respostas importantes para o dia a dia. A palavra competir vem do latim “com”e “petere” que significam: junto e procurar. O verdadeiro significado de competir é na realidade procurar em conjunto com o teu parceiro, e não contra um adversário. Quanto melhor for a performance do grupo mais probabilidade há de atingirem o topo. O desporto é acerca de aprendizagem e superação de obstáculos. Sem um adversário trabalhador, desafiador o desporto perde a alegria. Quanto maior o desafio, maior a probabilidade de ir além dos limites auto-impostos. Os recordes mundiais são batidos por os atletas trabalham de uma forma consistente para serem melhores que eles próprios até baterem recordes mundiais e olímpicos impostos por outros, ou seja, eles trabalham juntos para a superação. O seu filho NUNCA deverá ser ensinado a ver os adversários como inimigos a abater e destruir. Esta é uma atitude deplorável. Em vez disto falem com os pais das equipas adversárias. Esta é uma raiz que potenciará melhores performances, jogadas e em consequência vencedores.

2. Incentivar o seu filho/a a auto-competir.

O objectivo máximo do desporto é a auto-superação e a melhoria continua. Infelizmente, avaliar a melhoria através das vitórias e derrotas é injusto e pouco preciso. A primeira grande vitória no desporto é dar o máximo de si, no mais pequeno gesto. Há que separar o resultado das jogadas dos adversários. Isto é, devemos encorajar a competição contra o próprio potencial. Isto é, imaginando que o Francisco/a é o melhor atleta,devemos incentivar os outros a baterem o seu próprio recorde, a partir do foco que eles têm no seu próprio trabalho tenderão a superar, primeiro o seu próprio resultado e potencialmente aproximarem-se ou ultrapassarem o resultado do Francisco/a, de uma forma bem mais leve e sem pressão desnecessária. Divertindo-se terão melhores performances.

3. O sucesso não se define com vitórias e derrotas.

Este é um reforço ao passo 2. O objectivo do desporto para crianças e jovens é a aquisição e aperfeiçoamento de habilidades. Quando uma equipa tem uma performance acima do que faz nos treinos e perde, e uma idiotice focarmos o resultado, quando foi claro que a criança/jovem superou o seu potencial, e imperioso que se faça um esforço para que todo o grupo se sinta vencedor nesse momento. Da mesma forma que é importante chamar a razão quando se consegue alcançar uma vitória e foi patente que a criança/jovem trabalhou abaixo do que é o seu potencial. Procuramos com isto transmitir que existe uma separação entre sucesso e falhanço e entre ganhar e perder. Se definir o sucesso em termos de vitória e derrota está a jogar um jogo de onde sairá derrotado.

4. Seja um suporte e não um um segundo treinador.

O seu papel no triangulo pai-treinador-atleta é de Suporte ao atleta! Tem de ser o Fan nº1 do seu filho, incondicionalmente! Deixe o treino, as instruções para o treinador. Seja encorajador, apoiante, empático, motorista, financiador, ajude com a recolha de fundos, etc.. mas não dê treinos!Muitos dos pais que se envolvem em confusões com os filhos é porque se esquecem qual o seu papel enquanto pais na equipa. Dar indicações interfere com o seu papel de Suporte (apoiante, …), a última coisa que o seu filho quer ouvir de si depois de uma má performance são as suas correcções técnico/estratégicas. Mantenha o seu papel de pai separado do treinador. Isto é especialmente difícil para pais que treinam os filhos mas até estes têm de conseguir separar o tempo desta forma. No treino é o treinador em casa é o pai/mãe.

5. Ajude a tornar o desporto numa coisa divertida

Há muito que se provou que os picos de performance é tanto maior quanto maior for a diversão que a tarefa trás ao atleta. A diversão deve estar sempre presente independentemente do nível da competição! Quando se acaba a diversão e o treino se torna num martírio para o seu filho, neste momento deve ficar preocupado. Se o filho/a não se diverte ou deixou de se divertir, queira saber o porquê. Não se esqueça que um ambiente altamente competitivo não significa que não haja espaço para diversão. Uma atleta que treine e não se divirta acabará por desistir.

6. De quem é o objectivo? É o desporto do seu filho!

O ponto 5 leva a esta questão! Porque motivo o seu filho pratica este desporto, é porque quer ou porque você quer? Quando eles têm problemas no desporto como fala com ele é o “nosso” problema p.ex. “o nosso salto não está grande coisa”. Estará ele a jogar só porque não o quer desapontar? porque sabem o quão importante este desporto é para si? jogam para receber bónus de si? quem define os objectivos ele ou você? Se eles só se dedicam por sua causa, todos acabaram por perder mais cedo ou mais tarde. Não o pressione com as suas expectativas e deixe que eles façam a gestão dos  objectivos.

7. O seu filho não é uma performance. O amor é incondicional.

Não confunda as coisas. O pior que pode fazer é castigar o seu filho por causa de uma má performance. O seu filho deve saber que você estará lá no seu pior momento. Por exemplo o mergulhador olímpico Greg Louganis, estava em segundo lugar e ninguém acreditava que ele conseguia o 10 para passar o atleta chinês e garantir o ouro. Ele próprio comentou que antes do salto pensou, “independentemente do resultado os meus pais vão-me encher de amor.”

8. Sempre, sempre e sempre tenha a preocupação de dar auto-estima em todas as suas interacções.

Os atletas não interessa qual a idade dependem da sua auto-estima para uma boa performance, aprendem mais rápido, desfrutam mais e com mais segurança mesmo em clima de grande pressão. Aceitação e amor é algo que nunca é demais e eles darão isso de volta. Não seja arrogante, seja tolerante e não exponha o seu filho em momentos embaraçosos ou humilhantes. Se fizer isto como um ritual, eles perpetuarão este erro.

9. Ensine ao seu filho a dádiva do falhanço. (em Portugal é um oasis encontrar alguém que o faça)

Se o quer ensinar a ter sucesso ensine-o a valorizar os falhanços. Há duas coisas que os desportistas de topo aprenderam com o desporto melhor que outras pessoas! Primeiro – para ter sucesso é necessário correr riscos e quando corremos riscos ficamos mais expostos ao falhanço. Em segundo – o falhanço é uma resposta cabal e fonte de motivação porque nos dá uma resposta verdadeira. Em Portugal o falhanço é encarado como algo a evitar a todo o custo. é algo de terrível e humilhante e isto leva a não acções, a não avançarmos nos nossos objectivos de vida.

É impossível nascer a saber andar, e para aprender vamos cair muitas vezes, e só aprendemos quando caímos as vezes suficientes. Depois de cada queda o nosso corpo recolhe informações importantíssimas para evitar erros futuros.

Ensine o seu filho a preparar-se para a adversidade, erros e riscos de modo positivo e estar a dar-lhe a chave do sucesso para a sua vida futura. Os falhanços são pedras que encaixam de modo perfeito na construção do sucesso.

10. Desafie, não ameace

A ameaça dá resultados a curto prazo com custos elevados a longo prazo, no desafio teremos resultados a longo-prazo sem comprometer o curto-prazo. A comunicação, ou melhor, o modo como o  fazemos poderá confundir os dois. Deixe sempre implícito o desafio incluindo no seu discurso “Eu acredito que o consigas …”

wp-1451999623228.jpg11. Pressão no processo e não no resultado.

Muitos cedem à pressão não do processo mas do objectivo, ficando abaixo do seu potencial (perdendo quando poderiam ganhar). As acções que decorrem no presente têm influencia no futuro. Além disso incidindo sobre o resultado , que é completamente fora do controle do atleta irá aumentar sua ansiedade para um nível de inibição desempenho. Então, para ajudar a obter o foco afastado é importante concentrar na tarefa em mãos. Pais que apoiam de enfatizam as habilidades e jogar o jogo.

12. Evite comparações e respeite as diferenças de desenvolvimento

Pais que apoiam os atletas não os comparam com outros nem os avaliam comparando com os colegas. As comparações são escusadas, imprecisas e destrutivas. Cada um amadurece de forma diferente e o processo de comparação ignora e distorce estes factos. Dois jovens com a mesma idade digamos 12 anos só poderiam ter isto em comum, um poderá ter o físico de um menino de 9 anos e outro o de um jovem de 16. Comparar de modo prematuro poderá conduzir à perda de um talento. O único que se permite a comparar é o treinador que em certos momentos poderá utilizar um atleta muito bom tecnicamente para demonstrar uma habilidade a outros em desenvolvimento.

Não se preocupe como estão os parceiros do seu filho. Para ele é melhor que o continue a apoiar.

Perder um jogo não impede que o sol nasça amanhã.

Posted by TREINADOR on 22 DE DEZEMBRO DE 2015

Deixar uma resposta